segunda-feira, 12 de novembro de 2012

[TEXTO] Como contratar um DJ?

COMO CONTRATAR UM DJ 
por Daniel Nóbrega a.k.a Astek

Há tempos que gostaria de escrever este texto, mas confesso que tinha certo receio de que você leitor(a) me achasse o dono da verdade. Contudo, os vários pedidos de clientes, parceiros, amigos e fãs do meu trabalho, que os orientasse na hora de contratar serviço de discotecagem e também as várias matérias que aparecem diariamente nos jornais e sites com festas que foram um fracasso e que as vezes nem chegaram a ser realizadas por terem acreditado em picaretas, me fez mudar de ideia e expor um pouco do meu ponto de vista.

A internet é uma ferramenta que pode lhe ajudar na pesquisa do profissional ideal para a sua festa. Com ela, através do google ou de sites como o facebook, Orkut, twitter, flickr, entre outros,  você poderá achar uma gama de opções de “A” a “Z” , do sexo masculino ou feminino, dos mais variados estilos, de várias idades, do mais técnico e performático ao mais simples utilizador de notebook, com slogans promocionais bastante atrativos, figurinos dos mais inusitados aos mais chiques, exibindo uma beleza corporal digna de atletas e poses dignas de modelos.

Com o “booom” da popularização da figura do DJ, são inúmeras as “figuras” que se intitulam Disc Jockeys, mas que na prática...ah...isso você também encontra numa simples pesquisa no youtube, ou nas mídias sociais que citei acima, escrevendo “FAKE DJ”. Porém, infelizmente, nem todos têm o mesmo destaque e acabam se infiltrando no mercado de festas e eventos, justamente por não ser um profissional e pela falta de conhecimento do contratante, que acredita na oferta “tentadora” e mil promessas da vinheta.

Espero, de certa forma, poder contribuir para que futuros contratantes, produtores de festas e eventos, público em geral fiquem cientes  e mais atentos com o que estão pagando, pois o DJ, de certa forma, assim como qualquer outro profissional, também é um “produto”, que o consumidor pode acertar na compra, ficar muito feliz e satisfeito,  ter um sonho realizado ou, pode se arrepender  e ter muita dor de cabeça. Mas, sempre com o pensamento positivo, espero que depois de ler meu texto, só tenha alegrias. ;)

Sem mais delongas, vamos à algumas dicas importantes para contratar um DJ profissional:

• Esteja ciente do tema ou do público da sua festa ou evento, para só assim procurar o DJ com experiência e perfil para tocar nela;

• Pesquise na internet, procure conhecer o release ou currículo do DJ, procure referências do trabalho; existem até agências especializadas em DJs;

• Após a pesquisa, perceba que os melhores, com maior know how,  sempre estarão com maiores resultados nos sites de busca;

• Desconfie de “ofertas” tentadoras e de valores muito abaixo do mercado, faça um comparativo entre o TOP e o mais barato, coloque na balança. Pense como se estivesse contratando um Cirurgião Plástico, você deixaria seu corpo na mão de qualquer um?

• Saiba que os equipamentos profissonais de DJ são caríssimos, os melhores Disc Jockeys sempre investem pesado pra seguir a tendência do mercado, logo, se você seguir essa linha, os melhores DJs também vão ter cachês de acordo com a sua qualidade, com a sua técnica, com o seu conhecimento musical, com o seu talento.

• Se o DJ for de sua cidade, marque uma reunião, para conhecê-lo pessoalmente, troque ideias, exponha o que você gostaria que acontecesse em sua festa; ouça o seu repertório ou set.

• Basicamente, posso resumir a categria de DJs em três; 1) DJs de festas e eventos, que tocam de tudo um pouco ; 2) DJs de boates e raves, que tocam só música eletrônica; 3) DJs turntablists, que fazem scratch e outras performances em campeonatos e shows, na maioria em apresentações solo ou com grupos de hip hop. Certifique-se qual desses será o melhor pra sua festa, alguns têm o dom de se encaixar nessas três categorias.

• Hoje em dia, muitos DJs que trabalham com eventos, também possuem o seu próprio som, iluminação e estrutura para boate. Veja quanto fica o “´pacote” ou “kit” incluindo o show do DJ. Faça aquele mesmo comparativo entre o valor e o tipo do seu evento.

• Dezembro é o mês que todos os prestadores de serviço autônomo duplicam o valor de seus cachês, é o décimo terceiro da categoria. O DJ também faz parte desses profissionais, portanto não estranhe o valor cobrado para tocar em festas de Natal e Reveillon.

• Não é feio pexinxar, horrível é comparar um Fusca com uma Ferrari.